Medicina e Saúde

Abacate – Uma delícia que combate a Leucemia Mielóide Aguda (LMA)

Mundialmente, existem poucos medicamentos que combatam as células-tronco da leucemia. Mas, um estudo canadense revelou que gordura do abacate combate a leucemia mielóide aguda (LMA), uma forma rara do câncer, mas mortal.

A gordura do abacate combate as moléculas de células-tronco da leucemia, que são a raiz da doença, à medida que crescem em células anormais do sangue.

Em função dos resultados deste estudo, os pesquisadores esperam criar uma droga derivada da gordura do abacate que poderia aumentar significativamente a expectativa de vida e qualidade de vida para pacientes com LMA.

A LMA é uma doença devastadora e prova ser fatal dentro de cinco anos em 90%  das pessoas com idade superior a 65 anos.


Em pessoas saudáveis, as células estaminais na medula óssea se dividem e crescem para formarem células vermelhas maduras plenamente desenvolvidas do sangue, plaquetas e glóbulos brancos.Em pacientes com LMA, esse processo não acontece. E, ao invés de tornarem-se em células vermelhas de sangue saudáveis, tornam-se em células de leucemia. Estas são células imaturas que não são capazes de se desenvolver em células sanguíneas de funcionamento normal.

O Professor Paul Spagnuolo pela Universidade de Waterloo descobriu um lipídico em abacates que combate leucemia mielóide aguda (LMA), focando a raiz da doença – as células-tronco da leucemia. Não só Avocatin B elimina a fonte da LMA, mas seu efeito colateral é menos tóxico para o corpo, também.

A partir do Avocatin B, os pesquisadores descobriram que a molécula de gordura do abacate, é capaz de parar este processo, tendo como alvo as células-tronco de células sanguíneas saudáveis capazes de crescer.

“A célula-tronco é realmente a célula que impulsiona a doença. A célula-tronco é a grande responsável pelo desenvolvimento da doença e é a razão por que tantos pacientes tem recaída de leucemia. Temos realizado várias rodadas de testes para determinar como esta nova droga funciona em um nível molecular e confirmou que ele atinge seletivamente as células estaminais, deixando as células saudáveis ​​ilesas”, declara o professor Paul Spagnuolo.


Professor Spagnuolo fez uma parceria com o Centro de Comercialização de Medicina Regenerativa (CCRM), em Toronto, e entrou com um pedido de patente para o uso de Avocatin B para tratar LMA.

A droga ainda está a anos de distância de ser aprovado para uso em clínicas de câncer, mas Professor Spagnuolo já está realizando experimentos para preparar a droga para um ensaio clínico.

Fonte : Cancer Research Magazine


Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios