Notícias Regionais

Vistoria na construção da Penitenciária do Vale do Itajaí

Balneário Camboriú – Na manhã desta quarta-feira, 22, a Comissão encarregada de acompanhar as obras da Penitenciária do Vale do Itajaí, no bairro Canhanduba, esteve no local para analisar o andamento da construção.  A equipe é formada por membros do Legislativo, Executivo, das cidades de Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí, e também das Associações de bairros que representam as comunidades destes municípios.

Para Adélcio Bernardino, representante da Secretaria de Segurança, de Balneário Camboriú, o cenário é “desanimador”.  O integrante da comissão, que conta com 10 membros, disse que, desde o início das obras, em 2008, até o momento, não viu avanço nas obras. Bernardino também comentou sobre a falta de pavimentação no local. Destacou que, se o tempo estiver propicio para chuvas, a localidade ficará sem condições para trabalho, o que ocasionará na total paralisação da construção.

Questão esta, também levantada pelo presidente da Federação dos Conseg’s – Feconseg, Valdir de Andrade. Disse que do portão de entrada que dá acesso a obra onde estão instaladas as 52 células-celas, a estrada está precária. “Se chover, não tem como chegar”, analisa. Andrade destacou também, que a Construtora Espaço Aberto, de Florianópolis, responsável pelas obras num primeiro momento divulgou que a obra seria entregue em novembro de 2009, mas que, em comum acordo com o Governo do Estado, responsável pela liberação do recurso, mudou a data para maio de 2010.

Andrade relatou que a comissão vai se reunir a cada 15 dias, para analisar o andamento das obras. Contou também que, o próximo encontro foi marcado para acontecer no dia 5 de agosto, no Auditório da Prefeitura de Camboriú, após as análises, a equipe vai se deslocar ao local onde está sendo construída a penitenciária.    

Outro fato destacado pelo presidente da Feconseg, é de que, na manhã desta quarta-feira, durante a visita a obra, a comissão verificou que apenas quatro operários prestavam serviço. “O ideal, seria pelo menos 40 trabalhadores”, comenta.

A comissão irá documentar todas as visitas com vídeos, inclusive depoimento dos membros da comissão e também com fotos. Todo o material será enviado ao Ministério Público de Itajaí e Balneário Camboriú.  “A idéia é fazer pressão, para que o serviço seja acelerado”, finaliza Andrade.

Fonte: Assessoría de Imprensa

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo