Notícias Regionais

Rock na Rua reúne gerações no Centro de Blumenau

Blumenau – Centenas de pessoas prestigiarem o Rock na Rua em Blumenau. O evento, que movimentou a cidade na década de 90, foi retomado neste sábado, dia 27, após uma espera de 19 anos. Jovens, famílias e aqueles que viveram o evento no passado compareceram ao Centro de Blumenau para se divertir e curtir o som de cinco bandas locais.

Adorável Clichê, Clube dos Corações Partidos, Firebox, Old Bridge e Mr.Zai embalaram o público fã de rock e do cenário alternativo com repertório autoral e com covers de músicas já consagradas. Cada banda teve uma hora para se apresentar. A Adorável Clichê foi a primeira delas e segundo a vocalista e compositora da banda, Gabrielle Phillipi, no repertório do show somente músicas autorais. “Optamos por tocar somente músicas autorais e foi ótimo. Recebemos elogios de um público totalmente novo, que não conhecia as bandas”, assegura ela.

O engenheiro eletricista, Márcio Ederson Antonio, de 37 anos, elogiou a retomada do Rock na Rua. “Antigamente o evento na rua era o que tinha, hoje não. Temos outras opções de locais para curtir o rock, como pub, por exemplo, mas eventos abertos são poucos. Então sou favorável, é uma forma de conhecer as bandas da nossa cidade, sem precisar pagar entrada”, afirma Antonio, que frequentou o Rock na Rua na década de 90.

João Paulo Taumaturgo, assessor de Assuntos para a Juventude da Prefeitura de Blumenau e organizador do evento, ficou comemora o resultado. “O público compareceu, prestigiou. Teve muitos jovens, mas também muitas famílias. Pais que quiseram reviver o evento na companhia dos filhos. Foi muito bacana. Oferecemos entretenimento de qualidade, a estrutura foi elogiada e ver a satisfação do público foi a melhor parte”, diz. Segundo ele, mais uma edição do Rock na Rua está prevista para ainda este ano.

Juliana Damian Silva
ai/UNOPress

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo