Mais que palavras

Amar ou Gostar? Amor ou Química?

por Kellen Reis

Embora muitos acreditem que haja semelhança entre essas duas palavras, gostar e amar são dois mundos totalmente distintos. Amar está relacionado a tudo o que emana de dentro da pessoa. Amar tem a ver com a personalidade. Exemplo: no dia a dia costumamos falar : “eu amo essa novela” ou “eu amo comer pizza”. Mas, na verdade, levando para um lado mais profundo, o amor só pode acontecer entre pessoas. O amor é um sentimento exclusivo entre personalidades.

Gostar tem a ver com as coisas inanimadas, neste caso, podemos afirmar com certeza: “eu gosto dessa novela” ou “gosto dessa pizza”. A pizza não é uma pessoa! O amor precisa ser recíproco e a pizza não vai nos corresponder ao amor. Não deveríamos usar a expressão “amor” para todas coisas. Mas é claro é tudo força de expressão. E, é nessas circunstâncias que percebemos que a palavra “amor” já perdeu sua essência para muitas pessoas. Gostar tem relação com o externo ou com a “coisa”.

Portanto, o que podemos amar em alguém? O que se pode amar na personalidade de uma pessoa?

Amamos as coisas do Ser, que são atributos pessoais quer sejam eles negativos ou positivos, tais como: bondade ou maldade, justiça ou injustiça, compaixão ou impiedade, fidelidade ou infidelidade, etc. São estes atributos que alguém possa ter e que podemos de fato amar.

Estes atributos são a essência mais íntima de uma pessoa e que leva tempo para descobrir. Portanto, leva tempo para amarmos alguém uma vez que precisamos conhecer e compreender uma pessoa para finalmente amá-la. Podemos gostar imediatamente de algo ou alguém – sentimento imediato que chamamos de “química” – que é aquele sentimento que ocorre na hora. Não obstante, costumamos misturar tudo e chamar de amor e até de amor à primeira vista.

Amar e Gostar

Há pessoas que amam e não gostam e vice-versa. E como só podemos amar os atributos do Ser da pessoa, as coisas do caráter, do que gostamos afinal? Gostamos na verdade do sorriso, do jeito que uma pessoa faz amor, do beijo, etc. Tudo isso tem relação com o gostar. Ter relações sexuais com alguém não envolve caráter e portanto gostamos do jeito que faz amor. Sexo está entre as coisas que se gosta e não tem a ver com as coisas que se ama. Por isso é que às vezes amamos uma pessoa e não gostamos dela. Podemos amar seus atributos : o jeito que a pessoa se comporta perante a vida, como ela é compassiva, bondosa, fiel, a forma como trata as pessoas mas, podemos não gostar do jeito que ela beija, que age, que faz sexo, etc. Ou pode ser totalmente o contrário, a pessoa pode não ter no caráter dela as coisas que nos fazem a amar e admirar, mas ela, beija bem, transa bem, é alegre, tem um sorriso lindo e ainda tem o “lepo-lepo”. Neste caso, você gosta, mas não ama. Pois, o Ser não é de se amar, mas há o que gostar quem sabe.

Por isso que se diz que o amor demora a vir, pois, quando olhamos para uma pessoa, podemos ver o sorriso, o jeito que anda e em 10 minutos você tem toda a informação externa, aí você passa a gostar, gerou empatia de cara, mas o amor verdadeiro não acontece de cara.

Podemos até dizer que amamos, mas somente será genuíno quando primeiro gastarmos tempo para conhecer o Ser de uma pessoa, avaliá-la e firmemente falar que amamos. Existem pessoas que se viciam no sexo com alguém, mas quando convivem, o dia-a-dia não desperta o amor, pois lhe faltam os bons atributos.

Amamos as coisas que saltam de dentro da pessoa, as virtudes. Virtudes encantam, geram admiração que se transforma em amor.

É por isso que muitos relacionamentos avassaladores e de muita paixão (química) logo terminam… porque faltou conhecer os atributos… Aquilo que desperta o amor em nós. Mas o importante é que a gente encontre alguém que desperte nosso amor (com os atributos do seu Ser)  e que seja alguém que a gente goste muito, mas muito mesmo.

Amar e Gostar de alguém é Maravilhoso!

Kellen Reis, Jornalista e Escritora.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo