Notícias Regionais

Navegantes no Dia Mundial de Combate à Hanseníase

Navegantes – Nesse dia 27 de janeiro, acontece o Dia Mundial de Combate à Hanseníase, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para ocorrer sempre no último domingo de janeiro. A doença que causa manchas na pele tem cura, mas, na maioria das vezes, as pessoas não reconhecem os sintomas, e acabam agravando o quadro clínico. Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde de Navegantes estará realizando um treinamento com os profissionais das unidades de saúde para poder diagnosticar precocemente a hanseníase.

O treinamento acontecerá dia 28 de janeiro, no período da tarde, no Auditório da Prefeitura de Navegantes. A enfermeira Helena Soares, coordenadora do Centro Epidemiológico de Testagem e Aconselhamento (CETA), explica que o objetivo do treinamento é capacitar os profissionais da saúde do município para que eles fiquem atentos aos sintomas da doença e possam realizar o diagnostico precoce – evitando formas avançadas da doença como deformidades físicas.

Tratamento no município

A coordenadora informa que o CETA possui um programa de tratamento da Hanseníase em Navegantes. Primeiramente, os casos são encaminhados, por meio de exame específico, pelos clínicos gerais das unidades de saúde, para tratamento no CETA, localizado na Rua Vereador Nereu Liberato Nunes, anexo ao Posto Central. No CETA, acontece uma consulta mensal, onde é dada uma dose do medicamento – que o paciente deverá tomar diariamente em casa.

De acordo com a enfermeira, a Secretaria Municipal da Saúde tem cadastrado 53 pessoas com histórico de Hanseníase, mas apenas quatro estão em tratamento, os demais participaram do Programa no município e conseguiram se curar da doença. O tratamento pode durar de 1 a dois anos, dependendo do caso.

Mas a melhor maneira, segundo Helena, ainda é o diagnóstico precoce. “Por isso, alertamos as pessoas que fiquem atentas aos primeiros sintomas, que são perda de sensibilidade e de pelo no local, e procurem um profissional. Quem tiver dúvidas também pode se dirigir às unidades básicas de saúde, todas estão preparadas e o município possui os medicamentos necessários para o tratamento da doença – que são encaminhados pelo Ministério da Saúde”, explicou.

Saiba mais sobre a hanseníase:

Os principais sintomas e sinais da hanseníase são: manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo e áreas da pele que não coçam, mas formigam e ficam dormentes, com diminuição ou ausência de dor, da sensibilidade ao calor, ao frio e ao toque.

A hanseníase é infecciosa e atinge a pele e os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, rosto, orelhas, olhos e nariz. O tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas é longo e varia de dois a cinco anos. É importante que ao perceber algum sinal, a pessoa com suspeita da doença não se automedique e procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo.

Todos os casos de hanseníase têm tratamento e cura. A doença pode causar deformidades físicas, evitadas com o diagnóstico precoce e o tratamento imediato, disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). O tratamento pode durar de um a dois anos , se seguido corretamente. Também fazem parte do tratamento os exercícios para prevenir as incapacidades e deformidades físicas, além das orientações da equipe de saúde.

Louise Benassi
aiUNOPress

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo