Opinião

Nada pode ser inventado enquanto não acabar a impunidade no Brasil

por Mauro Queiroz

O Brasil vive atualmente a maior maior das farsas. Para se ter uma idéia, se neste momento algum governador, prefeito ou autoridade estiver criando um programa ou projeto para frear a criminalidade. Acredite, não vai dar certo! Simplesmente, porque a impunidade está sabotando todos os esforços de todas as autoridades em todos os níveis neste país.

O policial cumpre seu dever. É absurdo alguém dizer que a polícia não vem agindo. É ridículo que se acredite que os juízes não sentenciam no rigor da lei que o crime exige.

O que vem arruinando este pais é um código penal fraco, caótico e absurdamente equivocado. É preciso esforcar-se para entender em que realidade viviam os deputados e senadores quando o código penal foi votado. Ainda não acordaram para o fato de que os tempos mudaram?

O absurdo é tão grande que um juiz pode condenar alguém a 200 anos de prisão. Entretanto, o mesmo código garante que ninguém pode ficar preso mais de 30 anos? E destes 30, por diversos recursos pode cumprir somente 1/3 (10 anos) dos 30 anos.

Então, não se iluda!  Não há remédio e não há quem possa nos salvar, exceto Deus!

Por que tanta impunidade? Por que não vai mudar?

O código penal não deverá ser mudado pelos próximos 10 anos, a menos que haja uma revolta nacional. Por que?

Primeiramente, porque para que culpados sejam punidos de forma rigorosa e a gente sinta a tal sensação de segurança. É preciso construir presídios em todos os estados do país. Não adianta invenção ou conversa fiada de político. Sem presídio; Sem prisão!

O governo de Dillma nem de longe pensa nisto. O governo “não tem dinheiro” nem para construir e manter estradas (a corrupção não deixa) ainda mais para construir pelo menos 100 presídios. Presídios são caros e o que existem aí não tem onde colocar mais gente. Os governos estaduais nem se fala.

Se mudar o código penal teríamos que manter criminosos por mais tempo na cadeia com leis mais duras. E colocar esse povo aonde?

Em segundo lugar, o governo Lula e agora o de Dilma tem maioria na câmara e no congresso. Portanto, nada que obrigue o Governo Federal a investir milhões em presídios será aprovado. Esqueça! Consequentemente, nos governos estaduais a ciranda continua.

Em terceiro lugar, a lei que protege bandido é a mesma que protege político. Não vemos saída.

A solução seria votar em deputados e senadores que fossem da oposicão ao favorito de 2014. Não é bom quando um governo tem maioria no congresso. Quando isso acontece os ouvidos ficam surdos para o clamor do povo.

Mauro Queiroz
Jornalista

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo