Notícias Gerais

Maio registra aumento de 170% no número de pedidos de recuperação judicial no Brasil

Número de solicitações de falências também cresce mais de 50%

O mês de maio de 2009 registrou forte aumento de 170% nos pedidos de recuperação judicial em relação ao mesmo período do ano passado. Dados da Equifax, líder mundial em informação e inteligência para decisão e gestão empresarial, apontam que, no mês passado, foram registradas 46 solicitações de recuperação judicial no Brasil, enquanto em 2008, nessa mesma época, ocorreram 17 pedidos.

A cada mês aumenta mais o número de pedidos de recuperação judicial no País. Se compararmos os cinco primeiros meses desse ano com os de 2008, em todos os meses de 2009 o número de solicitações foram maiores. Em janeiro de 2008 foram 11 pedidos, contra 50 em 2009. Fevereiro desse ano registrou 23 solicitações, uma a mais do que o mesmo período do ano passado. O mês de março de 2009 somou 67 solicitações diante de 22, enquanto em abril foram 30 contra 19.

O número de recuperações judiciais decretadas também aumentou no mês passado. Foram 37 pedidos concretizados em maio de 2009, aumento de 94% em relação a 2008, que somou 19 solicitações. Se comparado ao mês de abril de 2009, o aumento é ainda maior, de 164%.

Em relação ao número de solicitações de falências, nesse último mês também foi registrado um grande aumento em comparação ao mesmo período do ano passado. Maio de 2009 constatou 185 pedidos, enquanto em 2008, no mesmo mês, foram 121, crescimento de 52,89%. Nos últimos 12 meses, esse foi o segundo maior período registrado no número de solicitações de falências no Brasil, perdendo apenas para o mês de março de 2009, com 194 requerimentos.

Esses aumentos nos números dos pedidos de recuperação judicial e falências são reflexos da crise financeira mundial, que teve seu início em setembro do ano passado. O impacto da crise para muitos setores da economia só veio a ocorrer nos três primeiros meses do ano e agora muitas dessas companhias estão sofrendo para continuar com suas

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo