Notícias Regionais

Joinville é a cidade catarinense com mais geração de empregos

Joinville – O Centro Público de Atendimento ao Trabalhador (Cepat) fecha 2014 atingindo uma importante marca em dois anos de atuação. De janeiro a outubro, Joinville registrou 7.692 vagas de emprego e se encontra na liderança do ranking de evolução do emprego formal em Santa Catarina, seguida de Itajaí (6.348), Blumenau (5.618) e São José (5.313) e 19 posições a frente de Florianópolis (919).

Até 12 de dezembro, a unidade localizada na rua Abdon Batista, 342, no Centro, atendeu em média 38.977 pessoas, quase o dobro que o ano passado. Foram captadas 5.042 vagas de emprego e realizadas 18.247 inscrições. Nesse período, 9.924 pessoas foram encaminhadas para empresas e 26.384 requisitaram seguro-desemprego. A cidade encerra o ano com mais de 198 empregados com carteira de trabalho assinada

O convênio com o Ministério do Trabalho e Emprego previa 25.499 atendimentos até 2014. A meta foi superada, suprindo solicitações de 57 mil trabalhadores. “Os resultados deste ano comprovam a dedicação e esforço do município no atendimento aos trabalhadores. Vamos nos esforçar para que essas ações continuem a melhorar”, avalia o diretor executivo do Cepat, Mário José de Souza Leal.

Cerca de 180 pessoas frequentam o Cepat por dia, o que resultou numa média de 3,4 mil atendimentos mensais. “É importante notar que absorvemos toda a demanda da cidade no período de fechamento do Sistema Nacional de Empregos estadual, de outubro a novembro. Naquele mês, recebemos mais de 4,7 mil trabalhadores”, comenta Mário.


Saldo positivo

Após o impacto negativo de 908 vagas, entre admitidos e demitidos, no período de maio a julho, Joinville voltou a crescer nos meses de agosto a novembro, com um saldo positivo de 7.692 vagas. A indústria de transformação é o setor mais cauteloso com relação à economia. Apresentou dados negativos desde abril, mas termina o ano com 626 vagas.

De acordo com dados do Cadastro Geral dos Trabalhadores (Caged), o setor administrativo é que mais atrai. Porém, as maiores demandas são no setor de produção e serviços, que inclui vagas de auxiliar de limpeza, cozinheiro e auxiliar de cozinha. “As empresas seguem encontrando dificuldades de contratação, por conta da falta de mão de obra qualificada”, comenta Mário.

Reforço na qualificação


Além dos serviços de captação de vagas, inscrição e encaminhamentos, requisição de seguro-desemprego, contatos e convocações, o Cepat atua em outras frentes no mercado de trabalho. É sede do Serviço de Inclusão de Organizações Produtivas (Siop) da Secretaria de Assistência Social.

O Siop congrega ações em prol da geração de renda e da Economia Solidária, promovendo reuniões, capacitações e eventos. Exemplos são a organização da Feira Porta do Mar (no Parque Porta do Mar, bairro Espinheiros), e o acompanhamento às cooperativas que atuam com reciclagem de resíduos sólidos no município.

O Cepat também estabeleceu parcerias com entes públicos e privados por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e a partir do primeiro semestre de 2015 vai encaminhar trabalhadores a 52 cursos de formação profissional.

Diego Rosa
ai/UNO


Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios