Notícias Regionais

Geoprocessamento na área rural

JoinvilleJoinville vai ter o primeiro mapeamento da história do município na área rural – numa escala apropriada – o que possibilitará o planejamento e a gestão territorial. O contrato de serviços para realizar a cartografia e o cadastro da malha fundiária da área rural da cidade será assinado nesta
segunda-feira (5/10).

Com esse mapeamento, será possível planejar e gerir apropriadamente as redes de distribuição de água, gás, coleta de esgotos, iluminação pública, drenagem urbana, área ambiental, projetos de infraestrutura e saneamento básico, além de dar apoio para elaboração de planos diretores, planos de
manejo e suporte ao licenciamento ambiental.

A base cartográfica da área rural de Joinville, em uso pela administração municipal, foi elaborada em 1980 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ) numa escala não adequada a estudos mais específicos. Desde então, nenhuma atividade voltada à sua atualização, com eficácia, foi desenvolvida, o que determinou uma grande defasagem em relação aos espaços ocupados na área rural.

O trabalho contratado é composto pelas seguintes atividades: de cobertura da área com uso de câmara aerofotogramétrica, uso de perfilador a laser aerotransportado, implantação de rede de referência topográfica, elaboração do modelo digital de terreno a partir de dados coletados pelo
perfilador a laser e também serão cadastradas cerca de 2730 propriedades rurais.


O município de Joinville iniciou as atividades de geoprocessamento com a realização da cartografia da área urbana em 245 quilômetros quadrados e o cadastramento de 140 mil lotes e hidrômetros. Outra ação da primeira parte do processo foi o desenvolvimento do Sistema de Gestão Cadastral, um
sistema web que disponibiliza informações especializadas (que identificam a sua localização) para pesquisa e gerenciamento, o que antes era feito manualmente. Mais de 300 servidores têm acesso às informações, o que facilitou o trabalho em diferentes áreas na Prefeitura. Todas as secretarias podem acessar o cadastramento imobiliário sem precisar se deslocar até a sede da Prefeitura.

É possível, desde a elaboração do mapeamento, identificar com precisão, por exemplo, linhas de marés, áreas de zoneamento, áreas de alagamento, limites de regionais, entre outras inúmeras ações. "Quando falamos em Geoprocessamento, podemos dizer que: se para o nosso problema perguntamos
"Onde", e essa pergunta tem resposta, podemos utilizar as ferramentas de Geoprocessamento", explica a engenheira civil Patrícia Becker, gerente de Gestão do Geoprocessamento, coordenado pela Seplan (Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão).

Confira abaixo algumas aplicações práticas realizadas com a conclusão do mapeamento e utilização das tecnologias de Geoprocessamento:

– Levantamento de atrativos e serviços turísticos realizado pela Promotur;


– Georeferenciamento de todos licenciamentos ambientais pela Fundema;

– Atualização do plano de emergência do aeroporto para a Infraero;

– Auxílio na tomada de decisões quanto a desastres naturais;

– Gerenciamento das bacias hidrográficas para o estudo da ampliação da rede de esgoto pela Companhia Águas de Joinville;


– Identificação, para Defesa Civil, das áreas de alagamento e conseqüente agilização para liberar o FGTS nas enchentes do final de 2008;

– Em conjunto com a Saúde está se especializando a informação levantada pelos agentes de saúde. Será possível identificar os locais com maiores incidências de doença e assim melhorar a logística da distribuição de medicamentos nos postos de saúde;

– Levantamento dos pontos de ônibus e ruas pavimentadas pela Seinfra;

– Levantamento da arborização pública pela Fundema;


– Auxílio no plano de emergência da Defesa Civil.

"A informação circula com maior facilidade", explica Patrícia. A Seplan realizou workshops com servidores de diferentes secretarias para disseminar a nova tecnologia. Outros treinamentos serão realizados. O próximo desafio da Seplan é a implantação do SIMGeo (Sistema de Informação
Municipal Geo Referenciadas). "Esse projeto vai sistematizar todos os dados da Prefeitura. Será uma base de dados única e especializada", disse o geógrafo e coordenador da área de Geoprocessamento, Celso Voos Vieira.

Fonte: Assessoría de Imprensa


Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios