Comportamento

Enfrentando o desemprego

A perda do emprego, segundo pesquisas internacionais, causa prejuízo tão grande na saúde e na autoestima de uma pessoa quanto o falecimento de um parente próximo.

Em tempo de crise econômica mundial, em que grandes corporações são obrigadas a demitir em massa para equilibrar suas contas, as empresas têm procurado alternativas para tornar o processo menos traumático para o profissional demitido, que tem a oportunidade de colocar a vida “na linha”. Por isso, um serviço que está ganhando espaço é o outplacement, habitualmente ao encargo de consultorias externas.

O programa, oferecido no pacote de demissão, é um suporte para que a pessoa enfrente melhor as conseqüências do desligamento, e se reposicione profissionalmente.

“Nesse momento, é fundamental contar com um apoio psicológico e logístico, como propõe o outplacement”, ressalta a psicóloga Nilce do Carmo Campos, sócia da Apex Executive Search, de Joinville/SC.


Ela compara o participante do programa a “um bebê que precisa de cuidados, carinho e atenção, até conseguir, sozinho, tornar a fazer tudo e ganhar independência”. Nilce adverte, porém, que o outplacement não pode levar a uma dependência extrema entre o trabalhador desligado e o profissional que o apóia. “Por isso, recorrendo ao velho ditado, antes de dar o peixe, cabe ao consultor ensinar a pescar para sempre, a fim de superar uma segunda demissão, caso venha a ocorrer no futuro”, argumenta.

De qualquer modo, cada caso é um caso. Com alguns profissionais, o consultor trabalha para baixar a ansiedade, antes de iniciar o processo. Com outros, deve turbinar a motivação pessoal.

Há casos, ainda, de pessoas que vêem o outplacement como a melhor oportunidade que já receberam e, em questão de três meses, no máximo, já conseguem ofertas de emprego e aprendem a recusar as que não lhes agradam. Em outras situações, o profissional adquire tanta autoconfiança que aproveita a oportunidade para alçar voo solo, montando seu próprio negócio.

Alberto de Maio, hoje gerente comercial da Tecnofibras, conta que a experiência do outplacement com a Apex Executive Search foi decisiva para o sucesso da sua recolocação:


“O processo de demissão foi complicado para mim, principalmente pelo grande tempo que trabalhei na antiga empresa, com carreira vertical, onde iniciei como auditor júnior, passei pela gerência administrativa e de controle, gerência comercial ME e gerência de gestão de pedidos.

A sensação de vazio passa a ser muito grande. A pior parte é a retomada: por onde recomeçar, o que fazer, como fazer, quem contatar, como refazer sua vida familiar e seu network. Primeiramente, o outplacement me recolocou no eixo principal, que é a família, e me auxiliou na retomada da autoestima, agora sem o sobrenome da empresa em que trabalhava.

Voltei a ser Alberto de Maio. Depois, o programa me preparou para iniciar um novo processo, estar psicologicamente preparado e a partir daí, recomeçar. Segui a linha da Apex, e todo o seu planejamento. Não queimei etapas, embora a ansiedade fosse grande para enviar currículos ao mercado. Achei a escolha certa, pois ainda não estava preparado para enfrentar a nova fase.

Caso não tivesse passado pelo outplacement, com certeza teria queimado etapas importantes sugeridas pela Apex, principalmente aquela em que reconheci na família o apoio para continuar; Redescobri minha autoconfiança e fiz amigos e contatos profissionais do mais alto gabarito.”


Outro atendido pela Apex Executive Search com o serviço de outplacement é Geraldo Majella Teixeira, que era gerente corporativo de recursos humanos na última empresa em que trabalhou. Ele ainda está no processo de outplacement, e relata que o acompanhamento está auxiliando a encontrar novos rumos para a carreira.

Passar por uma situação de desligamento de uma organização nunca é fácil ou agradável, qualquer que seja o motivo ou a forma da saída. A parte mais difícil é tentar entender as razões que levaram a essa decisão e se autoanalisar, com o objetivo de não repetir eventuais equívocos e mal-entendidos que levaram ao rompimento da relação laboral.

O processo de outplacement auxilia o profissional a se conhecer melhor, descobrir os pontos fortes e os que deve aprimorar, preparando-o para a retomada de sua carreira. Estou trabalhando intensamente no aprimoramento de aspectos pessoais e profissionais que podem agilizar minha recolocação. O processo de outplacement tem colaborado para isso, na medida em que ajuda a avaliar onde e como devo concentrar minha atenção e os meus esforços para atingir esse objetivo.

Se não fizesse outplacement, o processo de busca e contato com eventuais oportunidades profissionais demandaria um tempo maior para alcançar sucesso, e não teria a mesma abrangência que um trabalho feito por consultoria especializada pode proporcionar.


ai/UNOPress

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios