Notícias Regionais

Dia D de combate à Dengue e febre Chico Cunha em Laguna

Laguna – Neste sábado no centro histórico, as equipes de combate a dengue de Laguna estarão realizando uma ação de prevenção ao mosquito transmissor da doença e também orientando a população sobre a febre Chikungunya, também chamada de Chico Cunha. O objetivo é alertar sobre a gravidade da doença para que as pessoas eliminem os criadouros do mosquito em suas casas e promover a mudança de comportamento.

Em Santa Catarina já foram confirmados 58 casos de dengue, sendo que a maior parte das pessoas contraíram no próprio estado, conhecidos como casos autóctones. Isso significa que a doença se fixou aqui, por isso a necessidade da prevenção.

Já a febre Chikungunya é parecida com a dengue, mas que pode ser transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti e o Aedes Albopictus, transmissores da dengue e da febre amarela. A doença surgiu na África, transmitida por mosquitos comuns naquela região. De acordo com o Ministério da Saúde no Brasil, até novembro de 2014, foram registrados 1364 novos casos da doença.

Durante o dia “D” de combate, neste sábado, serão entregues materiais informativos, os agentes de endemias irão fornecer informações, além de apresentação musical com o personagem “Dengoso”, desenvolvido pela equipe do ESF da Alegria, da unidade do Mar Grosso.

Laboratório próprio:

A Secretaria de Saúde do município possui um laboratório próprio para análises dos focos de mosquito. “Quando temos alguma suspeita já encaminhamos imediatamente ao laboratório e em pouco tempo já temos o resultado”, disse o coordenador do programa de combate a dengue Marcos Aurélio de Souza. Municípios da região também utilizam o laboratório quando necessário.

Como é feito o trabalho de prevenção em Laguna?

Com o objetivo de monitorar e eliminar o mosquito aedes aegypti, uma equipe com cinco agentes de endemia e um coordenador monitoram cerca de 130 armadilhas e 30 pontos estratégicos espalhados pela cidade, entre eles cemitérios, ferro velho, borracharias, locais de grande circulação próximo a rodovia. A vistoria em armadilhas são realizadas de sete em sete dias e os pontos estratégicos a cada 15.

Os locais mais propícios ao surgimento do mosquito, segundo Souza, são próximas a BR onde há grande fluxo de veículos, caminhões e ônibus. “Eles costumam vir na carona dos veículos. As praias com muita movimentação de turistas também são propensas”, explica Souza.

Cuidado redobrado:

Todo cuidado é necessário nessa época do ano, período em que a incidência de mosquito aumenta. Limpar o terreno e quintal, além de observar o acúmulo de água em qualquer recipiente é fundamental para combater o mosquito. “Já encontramos foco em tampa de garrafa. Por menor que seja o recipiente é preciso ficar atento”, destaca Souza.

Em março do ano passado, um foco do mosquito foi encontrado na cidade. Desde então, a região tem sido monitorada frequentemente. “Está tudo sob controle. Não há registro nem histórico da doença em Laguna”, disse.

Mais informações, denúncias ou reclamações entre em contato no telefone 8847-9211 ou 3644-1315, ramal 206.

Como são feitas as armadilhas?

As armadilhas desenvolvidas pela equipe de combate a dengue são feitas de pneu de moto, onde um pneu da para fazer quatro armadilhas. Funcionam com a coligação de água nelas.

Dicas para combater o mosquito da dengue:

Verificar qualquer recipiente ou depósito que possa acumular ou que tenha água e que esteja destampado em sua casa, em seu quintal ou no seu local de trabalho

Coloque no lixo garrafas descartáveis, plásticos e outros objetos que possam juntar água;

– Tampe caixas, poços, tambores e potes de água;

– Coloque areia grossa nos pratos dos vasos de plantas;

– Guarde as garrafas viradas de boca para baixo e em local coberto;

– Limpe bem as calhas e bebedouros de animais;

– Observe no seu bairro se há terrenos com latas, pneus e recipientes plásticos e avise à prefeitura;

– Nunca jogue lixo em terrenos baldios.

Sintomas da dengue:

Febre alta com início súbito, forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do paladar e apetite, manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo, náuseas e vômitos, tonturas, extremos cansaço, moleza e dor no corpo, muitas dores nos ossos e articulações.

Sintomas da febre chicungunha:

Na fase aguda da chicungunha, a febre é alta, aparece de repente e vem acompanhada de dor de cabeça, mialgia (dor muscular), exantema (erupção na pele), conjuntivite e dor nas articulações (poliartrite). Esse é o sintoma mais característico da enfermidade: dor forte nas articulações, tão forte que chega a impedir os movimentos e pode perdurar por meses depois que a febre vai embora.

Foto © Geraldo Gê
ai/UNOPress

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo