Notícias Gerais

Cuidados sanitários e epidemiológicos durante as chuvas

Com chuva forte em Santa Catarina neste final de semana, a Secretaria de Estado da Saúde alerta para os cuidados sanitários e epidemiológicos. As diretorias de Vigilância Epidemiológica e Sanitária chamam atenção para ações que podem ser adotadas antes de enxurradas e cuidados básicos no consumo de alimentos, água e doenças que podem ser causadas pelas enchentes.

Populações que se sintam mais vulneráveis a problemas com as chuvas podem adotar medidas de prevenção, como estarem atentas a abrigos em locais altos e secos e desligar aparelhos elétricos. Em situações que inspirem mais cuidados, até mesmo guardar documentos e objetos de valor em sacos plásticos bem fechados e em local protegido.

Cuidados para que o lixo não se espalhe. Coloque os resíduos em locais não sujeitos à água. No caso de alagamentos, a Vigilância Sanitária adverte que todo alimento que ficar submerso ou umedecido não deve ser consumido, mesmo que esteja em embalagem plástica ou enlatada.

E a Vigilância Epidemiológica ressalta o cuidado com uma maior possibilidade de aparecimento de aranhas, cobras e ratos ao movimentar objetivos, móveis e utensílios.

Em relação a doenças, uma das maiores preocupações é a leptospirose, causada por bactérias presentes na urina do rato. Orientações fundamentais são evitar o contato com água e a lama das enchentes, usar somente água fervida ou tratada com cloro para beber e impedir que crianças brinquem em locais que possam estar contaminados com a urina de ratos. A ingestão de água contaminada acarreta risco de contrair hepatite A, diarreias e outras doenças.

Força-tarefa

O governo do Estado de Santa Catarina montou uma força-tarefa para orientar e auxiliar a população. A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu alerta para risco de alagamentos, deslizamentos e inundações. Os mapas meteorológicos indicam tempo instável com acúmulo de 300mm a 330 mm. Na prática isso representa que em três dias vai chover o dobro do esperado para o mês inteiro de setembro.

Nas regiões costeiras, os valores de marés elevados dificultam o escoamento das águas das chuvas para o mar. Podem ocorrer inundações pela maré astronômica de sizígia – ocorrem nas luas nova e cheia, quando são registradas as maiores preamares (maré alta) -e chuvas, especialmente nas madrugadas e tardes de sexta e de sábado. Entre domingo e segunda-feira a maré astronômica diminui, mas o vento sul pode continuar dificultando o escoamento das águas.

Orientações

Em caso de inundações e alagamentos, a Defesa Civil orienta a população a evitar o contato com a água e transitar em lugares alagados e pontes submersas. É importante tomar cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Em tempestades com descargas elétricas e vento, deve-se permanecer em local seguro e não transitar em locais abertos, próximo a árvores, placas publicitárias ou objetos que possam ser arremessados. É aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, ao exemplo dos banheiros das residências, fechar janelas e portas, e não manusear nenhum equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

Quanto a possíveis deslizamentos de terra, deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas a suas residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.

As defesas civis e órgãos estaduais das regiões Oeste, Litoral Sul e Planalto Sul, onde há maior confirmação de risco de alagamentos, já foram mobilizadas pela Defesa Civil estadual e estão preparadas para atender a população. “A equipe da Defesa Civil estadual está em estado de alerta e concentrada na previsão do tempo em todo o estado”, explica o diretor de Prevenção e Preparação da Defesa Civil, Fabiano de Souza.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão. O telefone para contato é o (48) 3664-7000.

ai/UNO

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo