Notícias Regionais

Central da Merenda nas escolas municipais de Criciúma

Acompanhando o retorno das aulas, central voltou a distribuir alimentos para as 72 escolas municipais

Criciúma – Uma alimentação de qualidade e diversificada está novamente garantida a todos os alunos da rede municipal de ensino. Atendendo a determinação do prefeito Clésio Salvaro, a Central de Processamento de Merenda Escolar voltou a distribuir alimentos para as 72 escolas do sistema. Com novas medidas adotadas e as atividades em dia, os serviços acompanharam o retorno das aulas nas instituições públicas.

Atualmente com 59 colaboradores entre funcionários de produção, distribuição e escritório, a central conta agora com uma nova cozinheira chefe e uma nutricionista. “Estive visitando a central e acompanhei o andamento de cada processo. O trabalho na padaria e a distribuição dos alimentos já está funcionando normalmente e em ordem”, frisou a Secretária de Educação, Geovana Benedet Zanette.

Por dia, a média de 2500 kg de alimentos são preparados na cozinha da central entre almoço, janta e lanche salgado, afirma a nutricionista Aline Manenti. “Diariamente são feitos também 9000 pães. Além disso, enviamos mensalmente gêneros não perecíveis para as escolas com itens como leite em pó, achocolatado, polpa de fruta natural, biscoito, café”.


Semanalmente, frutas são entregues em todas as escolas. “A alimentação é um item fundamental para o desenvolvimento de uma criança. No ambiente escolar, uma merenda de qualidade auxilia muito oferecendo energia e tornando o aluno mais atento ao aprendizado”, frisa Geovana Zanette.

Cardápio variado

O alimento é fornecido ao todo para aproximadamente 18 mil alunos e o cardápio é elaborado para o período integral, parcial e para crianças nos Centro de Educação Infantil Municipal (CEIM). Conforme a nutricionista, o período integral é composto por cinco refeições diárias e o parcial apenas por uma. “No CEIM a comida é diferenciada, com minestras, cereais e outros alimentos próprios para essa faixa etária”, pontua a nutricionista Aline.

A central também é responsável por fornecer alimentos de substituição para estudantes que possuem alguma intolerância alimentar. O cardápio é refeito à cada mês para oferecer variedades. “É elaborado de acordo primeiramente com valor nutricional, depois com o que a central pode produzir e também avaliando se é gostoso para as crianças”, frisa.


A Central de Processamento de Merenda Escolar foi inaugurada em 2010 e neste começo de ano 18 escolas que estavam fornecendo merenda por conta voltaram a integrar o sistema.

Texto: Denise Possebon
ai/UNOPress

 


Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios