Notícias Gerais

Baixas temperaturas no sul do Brasil

Segundo a Climatempo, no fim de semana volta a gear no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. O Paraná terá mais chuva. O ar frio polar atua forte sobre o Sul do País e quase todas as áreas de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul, o oeste e o sul do Paraná, amanheceram na sexta-feira com temperaturas abaixo dos 6ºC. O frio permitiu a ocorrência de geada e nevoeiro em muitas áreas, como em um dia típico de inverno.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura chegou a 1,4ºC abaixo de zero em General Carneiro, no sul do Paraná. Em Lages, no planalto catarinense, a mínima foi de 0,3ºC negativos. No Rio Grande do Sul, os termômetros em Quaraí, na fronteira com o Uruguai, baixaram para 1,3º negativos. A geada foi forte na região de São Joaquim, na serra catarinense. No interior gaúcho, geou forte em Lagoa Vermelha, Cambará do Sul, Bom Jesus e Pelotas.

Para o fim de semana, a previsão da Climatempo é de ligeira elevação de temperatura no Sul, mas a sensação ainda será de frio o dia todo. Pode gear ao amanhecer nas áreas de serra e planalto do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. O nevoeiro volta a se formar em muitas áreas da região, reduzindo a visibilidade no começo da manhã.

Além do frio, novas áreas de instabilidade crescem no Paraguai e avançam sobre o Sul, o que vai provocar o aumento da nebulosidade e chuva em parte da região. O Paraná será o mais atingindo por essas nuvens carregadas, que devem provocar novas pancadas de chuva a partir da tarde, em todo o Estado. Pode chover também no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, mas só a partir da tarde e com pouca intensidade.

No domingo as áreas de instabilidade ganham força sobre o Paraná e no Vale do Itajaí e no litoral catarinense. O tempo fica chuvoso e pode até chover forte. Nas demais áreas de Santa Catarina, o sol aparece no meio de muitas nuvens com previsão de chuva a qualquer hora. No Rio Grande do Sul, o domingo será de sol e tempo firme.

Nevoeiro reduz a visibilidade

O frio intenso foi responsável pela formação de fortes nevoeiros no Sul do País nesta sexta-feira. Em Porto Alegre, um vôo foi cancelado e oito sofreram atrasos, devido à má visibilidade. Às 7 horas, o aeroporto Salgado Filho estava com apenas 200 metros de visibilidade e um frio de 5ºC. A neblina encobriu a grande Curitiba e o aeroporto internacional Afonso Pena ficou com apenas 200 metros de visibilidade no começo da manhã. No norte paranaense, o frio não era tão intenso, mas a neblina voltou a se formar reduzindo a visibilidade. O aeroporto de Londrina chegou a ficar com apenas 50 metros de visibilidade, às 7 horas da manhã. Mas após a dissipação do nevoeiro, quase todo o Sul do Brasil teve um manhã ensolarada.

Sobre o Grupo Climatempo

O Grupo Climatempo é a maior empresa privada de meteorologia do país. Uma holding formada pela Climatempo Consultoria, Agência Climatempo, a TV Climatempo e a CLIMANET (Internet, serviços de tecnologia e informática). Atualmente, o Grupo Climatempo fornece conteúdo para os principais portais do país, mais de 50 retransmissoras de televisão do Brasil e tem cerca de mil clientes. Os dois principais segmentos atendidos são o de agronegócios e meios de comunicação. Além destes, fornece conteúdo meteorológico estratégico para produtoras, a indústria eletroeletrônica e têxtil, comércio, moda e turismo, entre outros setores.

O Grupo é presidido pelo meteorologista Carlos Magno, um dos precursores da profissão no País, com mais de 23 anos de carreira, que ajudou a mudar a cultura que o brasileiro tinha sobre a meteorologia. O Grupo Climatempo conta ainda com Ana Lúcia Frony vice-presidente, Renato Urbinder, sócio-diretor (Diretor de Negócios e Projetos Especiais), e os diretores executivos Gilca Palma (Climatempo Meteorologia), André Madeira (Agência Climatempo) e o jornalista Paulo Polli (TV Climatempo) no Conselho Consultivo.
 
 
ai/UNO

 

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo