Medicina e Saúde

Associação de Diabetes Juvenil promove mutirão para diagnóstico precoce da doença

Brasília – A Associação de Diabetes Juvenil (ADJ)  promove hoje (13) e amanhã em São Paulo, na Estação da Sé e na Rodoviária do Tietê, um mutirão para detecção da doença, que pode atingir crianças e adultos. Desenvolvida em parceria com um laboratório e uma emissora de rádio da cidade, a campanha faz parte dos eventos relacionados aos dias Nacional e Mundial de Combate ao Diabetes (14 de novembro) e vai mobilizar mais de 30 profissionais de saúde.

A presidente da ADJ, Ione Taiar, ressaltou a importância da detecção precoce para o controle da doença, principalmente do diabetes tipo 2, que aparece no decorrer da vida.

“Quando a pessoa descobre que já está com diabetes, ela consegue assumir o controle dessa doença, desde o início. Porque o diabetes tipo 2 vai minando o organismo e, muitas vezes, o paciente não tem conhecimento de que está doente. Quando  descobre, às vezes  já está com uma série de complicações. Por isso que essas campanhas de detecção são fundamentais”.

Segundo Ione, trabalhos semelhantes vêm sendo feitos em determinados pontos da cidade há alguns meses e todos os dias são detectados novos casos.

“Todas as quintas-feiras é feito o teste para identificação em mais de 300 ou 400 pessoas, em determinado ponto de São Paulo. Sempre são encontrados casos de diabetes. E quando eles são notificados, é feito o encaminhamento a uma unidade básica para início do tratamento”, explicou.

Em Brasília, o sábado será marcado por uma série de atividades no Parque da Cidade. O evento, promovido pela Associação de Diabéticos de Brasília em parceria com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal e a Sociedade Brasileira de Diabetes, inclui palestras, realização de testes de glicemia e aferição da pressão arterial, além de atividades físicas e recreativas.

O Dia Mundial de Combate ao Diabetes foi instituído em 1991 com a finalidade de alertar a população sobre necessidade de prevenção e tratamento da doença.

Dados da Federação Internacional de Diabetes indicam que se estratégias eficientes de prevenção não forem adotadas pelos governos dos países onde a doença é prevalente, o número de vitimas da enfermidade do tipo 2, que atualmente é estimado em 250 milhões de pessoas em todo o mundo, pode superar 380 milhões em 2025.
 
ABr/UNO

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo