Notícias Regionais

101 alunos de Penha disputam fase final da Olimpíada da Matemática

Nona edição da competição do MEC contará com a participação de cinco escolas penhenses – duas delas da rede municipal de ensino e outras três da rede estadual

Penha – Se você pensa que a matemática, considerada o “terror” das disciplinas escolares não atrai as novas gerações de estudantes, você está enganado. Em Penha, nada menos do que 101 alunos de cinco escolas das redes municipal e estadual de ensino estão classificados à segunda e última fase da 9ª Olimpíada Brasileira da Matemática, que terá nova etapa de provas confirmada para o dia 14 de setembro próximo.

De acordo com a professora Sirlene Maria de Souza, coordenadora das Séries Finais da Secretaria de Educação da Prefeitura de Penha, a “peneira” iniciada com as provas da primeira fase, em 4 de junho, segue agora com cinco escolas locais participantes – duas delas da rede municipal e três da rede estadual de ensino. As provas do dia 14 acontecerão no Centro de Ensino de Jovens e Adultos de Penha (EJA), na Rua Paraná, 39, Praia de Armação.

A unidade com maior número de participantes será a Escola de Educação Básica Estadual Manoel Henrique de Assis, com 50 estudantes. Em seguida vem a Escola de Educação Básica Edith Prates Gonçalves, com 23, e a Escola de Educação Básica Antônio Rocha de Andrade, com 10. Já a rede municipal estimula e orienta um total de 18 alunos, da Escola Básica Municipal João Batista da Cruz e da própria EJA.


A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é uma promoção do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e tem como objetivo estimular o estudo dessa ciência e disciplina, e revelar talentos na área. Maior disputa do gênero no mundo, a OBMEP foi criada em 2005 e vem crescendo a cada ano, criando um ambiente estimulante para o estudo da Matemática entre alunos e professores de todo o país. Em 2012, cerca de 19,1 milhões de alunos se inscreveram na competição e 99,4% dos municípios brasileiros estiveram representados.

Sirlene frisa que alunos de Penha que atingirem médias acima de 8 recebem moção de honra ao mérito e poderão incluir estes resultados em seus currículos, os quais poderão ser encaminhados às melhores universidades do País e se habilitar ao recebimento de bolsas do CNPq. As provas terão entre seis e oito questões dissertativas, e os alunos devem explicar e exibir os cálculos, bem como o raciocínio empregado.

“A Olimpíada da Matemática é importante porque promove uma seleção dos alunos que já tem habilidade na disciplina, e sua sistemática ajuda a selecionar os melhores do País, justamente para financiá-los com bolsas de estudo e garantir o aprimoramento de seus futuros currículos”, observa o secretário de Educação de Penha, professor Misael Cordeiro.

A premiação será divulgada em 29 de novembro, no site obmep.org.br, e serão premiados 500 alunos com medalhas de ouro; 900 com medalhas de prata;  e 4.600 com medalhas de bronze. Outros 46.200 estudantes receberão Certificados de Menção Honrosa e haverá ainda premiações para as escolas e Secretarias de Educação locais. A competição premiará 480 escolas e até 1.010 professores. O professor que concorre à premiação é o professor de matemática de sala de aula dos alunos que participam da segunda fase, desde que sejam indicados pela escola e vinculados a pelo menos dois alunos.


Foto: Antonio Cruz/ABr
Felipe Franco
ai/UNO

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios