Criação de Sites


Moda Feminina

Moda Latine

Dormir menos de seis horas por noite prejudica gravemente o cérebro

Privação de Sonopor Mauro Queiroz, Jornalista

A privação do sono aumenta o risco de obesidade, depressão, ataques cardíacos e AVC. Além disso as conseqüências mais preocupantes estão enraizadas no cérebro. Recente pesquisa descobriu que a privação do sono está ligada à deficiência cognitiva aguda.

Dormir menos de seis horas de sono por noite ao longo do tempo pode causar o mesmo dano de longo prazo que o abuso de álcool.

Para o corpo, a privação do sono resulta em risco aumentado de obesidade, depressão, ataques cardíacos e AVC - fazendo com que os especialistas acreditem ser este um "mal moderno".

Moda Latine


No entanto, as consequências mais preocupantes estão enraizadas no cérebro e uma nova pesquisa sugere que os efeitos são muito mais destrutivos do que se pensava anteriormente.

A pesquisa sugere que estar acordado por 18 horas resulta no mesmo comprometimento cognitivo que as pessoas tem quando ingerem bebida alcoólica.

Isso é tão severo que a condução de veículos, enquanto o sono está sendo privado poderia ser tão perigoso quanto a dirigir quando se está bêbado. Os Pesquisadores da empresa de saúde digital com sede em Quebec, Medisys, descobriram que as pessoas que regularmente tinham menos de seis horas de sono por noite podiam sofrer terríveis efeitos cumulativos sobre a saúde que poderiam ser inconscientes.

Embora a noite mal dormida com apenas seis horas ou menos não terá um efeito significativo, mas a rotina de não dormir o suficiente é muito perigoso, descobriram pesquisadores.

O sono afeta hormônios da fome

"O sono desempenha um papel importante na regulação dos hormônios que influenciam a fome (grelina, cortisol e leptina) e é por isso que a privação do sono aumenta o apetite e leva a excessos e ganho de peso", disse o neurocientista Dr. Adrian Owen da Western University, que também trabalha com a Medisys.

Os pesquisadores descobriram que seu cérebro se torna menos estável quanto mais tempo você permanece acordado - o que reduz sua atenção, capacidade de se concentrar e usar seu cérebro em tarefas específicas.

Relatórios recentes sugeriram que 1 em cada 3 pessoas priva cronicamente o sono.

O cérebro come a si mesmo

A notícia vem da pesquisa que mostrou que ter muito pouco sono faz com que o cérebro come a si mesmo se não durmimos o suficiente. Os pesquisadores estudaram ratos de laboratório e descobriram que as células de "limpeza" eram mais ativas em seus cérebros quando estavam privados de sono.

As células, conhecidas como astrócitos, atuam como mini aspiradores no cérebro, varrendo as células à medida que as conexões do cérebro se tornam fracas e se separam.

"Mostramos pela primeira vez que partes de sinapses (zona de ligação entre os neurônios) são literalmente consumidas por astrocitos por causa da perda de sono", disse o autora principal do pesquisa, Michele Bellesi a revista New Scientist.

De acordo com a equipe de pesquisa da Marche Polytechnic University da Itália, o processo aparentemente alarmante é real.

Mauro Queiroz/UNOPress/The SUN

Moda Latine
Tempo em SC
Seu Signo
Nível Rio Itajaí